Páginas

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Eu estava pensando sobre a finalidade de tudo. Como alguém pode deixar seu mundo num piscar de olhos e sumir para sempre. É muito grande para se pensar. É muito difícil. E a gente tem que seguir em frente, não é? Lidar com isso. Você só pode ficar triste enquanto as flores durarem, e depois é hora de voltar a contar piadas e relembrar os velhos tempos. Eu não tenho piadas para contar. Na verdade, espero não ouvir mais nenhuma piada enquanto eu viver. E os velhos tempos são apenas isso... velhos tempos que se foram.
 Parece tão falsa essa ideia de que coisas boas acontecem para pessoas, e que há mágica no mundo, e que as pessoas dóceis e corretas vão herdá-la. Muitas pessoas boas sofrem para que isso seja verdade. Muitas preces não são atendidas. Todos os dias ignoramos o quão destruído esse mundo está e dizemos a nós mesmos que vai ficar tudo bem. "Você vai ficar bem". Mas não está tudo bem. E quando percebe isso, não há como voltar. Não há mágica no mundo. Pelo menos, hoje não há.
Não ser ninguém exceto você mesmo, num mundo que se esforça dia e noite para torná-lo igual a todo mundo, é lutar a pior das batalhas que todo ser humano pode enfrentar e nunca deixar de lutar.
É difícil enfrentarmos o que tememos. Às vezes precisamos de uma ajuda.
Sempre haverá alguma coisa pra arruinar nossas vidas. Tudo depende do quê, ou de quem nos encontra antes... Nós estamos sempre maduros e prontos pra sermos levados.
"Estava com medo de ter o meu coração quebrado de novo... como antes.
Porque você me machucou tanto, e eu estava com medo de ser vulnerável,
eu estava com medo de você e da maneira como você faz eu me sentir."
Algum dia você vai perceber, um dia você verá isso através dos meus olhos, mas neste dia eu não estarei mais lá. Eu serei feliz em algum lugar. Mesmo que eu não possa...
Maguou mesmo. Não vai magoar mais...
Agora eu já aprendi que eu não deveria ter confiado tanto, que eu não deveria ter deixado você se tornar na minha vida o que você se tornou. Sabe por quê? Porque você não merece.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Lies, just lies

Eu aumento o volume, ponho no máximo, só para não ter que escutar as mentiras que você me contou se repetindo em minha cabeça. Eu quero que isso tenha um fim sabe? Como eu vou conseguir te dizer isso? Procuro forças em mim pra fazer isso.
Sempre que você diz que não me magoa por mal, é verdade? Como eu posso saber se é ou não? Minha cabeça está cheia de perguntas agora, sabe por quê? Porque eu não esperava que você me magoasse desse jeito.
Eu queria que você me contasse a verdade, acima de tudo a verdade. Nada mais que isso, sabe? A verdade é pedir muito? Pra mim não é.

domingo, 19 de dezembro de 2010

domingo, 12 de dezembro de 2010

E essa é a sua vida

Falei hoje com uma amiga que disse que queria fechar os olhos e nunca mais abrir. E eu achei que ela tava brincando, claro, mas não. Ela disse que não tava. E eu falei que tinha muita gente que daria tudo pra ter uma vida saudável como a dela, que daria tudo para estar no lugar dela, e ai ela disse que daria a vida dela a eles se ela pudesse.
Bom, a sua vida valer a pena depende de você, então se você não fizer valer a pena, claro que não vai, né? Esperar a vida passar não vai ajudar em muita coisa, então é bom você lembrar que está aqui por um motivo.
Pra quê desistir de tudo agora? Amanhã TUDO pode mudar, porque amanhã é um novo dia, então não desista do amanhã pelo que aconteceu hoje, você tem a chance de não deixar o dia de hoje se repetir e fazer o amanhã valer a pena. Basta ir à luta.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Pessoas são apenas pessoas

Eu estava assistindo aqui uma série e fiquei pensando que a menina que eu mais gostava no começo, começou a agir como uma completa idiota, e eu passei a não gostar dela.
Eu achava que ela era a boazinha, a que nunca iria se corromper e a que poderia "mudar o mundo", mas não. Ela não valoriza o que os outros fazem por ela e só reclama o tempo todo e eu cansei dela.
Mas eu não vim aqui para escrever sobre minha revolta contra ela, até porque todo mundo da série passa da minha lista para minha lista negra o tempo todo, então se eu for falar de cada um, dá muita história.
O que eu quero dizer é: podemos definir as pessoas como boas ou más? Existe algum tipo de teste que você possa fazer para saber isso? Não. A questão é que as pessoas agem de acordo com o momento e suas escolhas, então, o que para a gente parece errado, para ela pode parecer certo.
Não podemos definir as pessoas desse jeito também porque as pessoas mudam o tempo todo, então não há como dizer que a pessoa é boa em tempo integral, ou tão ruim que ninguém aguenta chegar perto.
Voltando a falar do seriado, a mulher briga com o marido por ele ter defendido ela num bar, já que a última briga de bar dele quase o deixou sem andar.
Mas o cara passou a mão na bunda dela! Ele deveria apenas ter ficado olhando? Eu acho que ele fez certo mesmo, mas ela saiu com muita raiva dele.
E eu comecei a pensar que ela poderia deixar de ser idiota, não é? Quem não iria querer o homem que você ama te defendendo? E, de repente e sem querer, me pus no lugar dela. Ela ficou com medo que ele se machucasse de novo, que algo pudesse acontecer a ele e não tivesse como concertar. Então eu entendi.
Eu não posso dizer que ela é má ou boa pessoa por ter feito o que ela fez. Eu não sei qual seria o meu posicionamento se algo do tipo acontecesse, então, não vou julgá-la. Ela estava protegendo quem ela ama.
Por isso, estou tentando parar rotular as pessoas com boas ou más, porque elas podem mudar o tempo todo e não é justo ficar julgando assim porque pessoas são apenas pessoas e pessoas erram.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Sem revisão, sem correção e sem sentido

Muitas pessoas acham que finais felizes só acontecem em histórias e por isso, elas não esperam que suas vidas terminem com um "felizes para sempre". Eu acho que por não acreditar é que essas pessoas acabam deixando a vida passar, acomodando-se na sua zona de conforto e deixando apenas que a vida siga seu rumo e leve aonde for.
Se existe finais felizes em histórias, por que não tentar transformar o nosso? Não podemos mudar o mundo e fazer dele um lugar perfeito, mas podemos fazer nossa parte para contribuir com isso.
Eu venho fugindo de escrever, porque na hora de colocar o que eu quero dizer aqui, simplesmente eu não consigo. Talvez porque eu queira encontrar palavras que ajudem alguém.
Eu queria muito poder mudar as pessoas, ajudá-las a não sofrer e até mesmo fazer com que meu texto ajude a pessoas que eu nem mesmo conheço.
Eu posso estar sonhando alto demais, e pode ser que minhas palavras não façam sentido para ninguém, mas, se um dia, algumas poucas dela puder mudar, pelo menos um pouco, alguém, eu ficarei feliz.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Tudo o que ela precisa

Era uma menina mais fechada do que parecia por fora. Fechava-se até para si mesma, não permitindo que ninguém chegasse ao seu coração por medo de se magoar e insistia que as pessoas sempre as deixaria. Tinha um histórico de abandonos bem longo, aliás.
- As pessoas que eu amo sempre partem, ou morrem, ou vão para o Iraque. - disse ela, tentando explicar o motivo de ser como ela era.
Não sabia mais o que fazer, não tinha achado nenhum jeito de mudar como ela era. Já tinha tentado de tudo e apenas não conseguia. Começou a aceitar que viveria assim, sozinha. Já estava até se acostumando com isso quando tudo mudou.
Até que um dia, alguém disse a ela o quanto ela era importante. E era o que ela precisava. Ela percebeu que tudo o que tinha feito até então não adiantara, porque ela só precisava de uma coisa. Precisava de alguém que acreditasse nela.

Esclarecimentos

Primeiramente, começarei a escrever sem nem saber o que quero dizer... Eu estava pensando como seria se meus textos se calassem, e se algum dia, eles ajudaram ou ajudarão alguém. Vocês podem imaginar que são apenas palavras soltas, tentando traduzir sentimentos misturados e confusos. Tudo bem, eu também acho isso.
Eu penso, confesso que às vezes, em fazer meus textos com o objetivo de ajudar alguém, ser útil para alguém. De que adianta, se amanhã Deus vier me buscar e eu não tiver deixado nada de memóravel? Não quero ganhar nenhum prêmio, nem ser famosa, nem ter milhões de fãs; eu adoro meu anonimato. Só não quero, ao final da minha vida, perceber que sou apenas uma figurante, e que a vi passar sem mudar coisas que queria ter mudado, feito coisas que teriam valido a pena.
No fundo, quero só valer a pena.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Nem tudo é queda


Eu me encontrava na maior felicidade, bem no topo, ai veio a vida e me lembrou que isso era realidade e não um conto de fadas. E ela me derrubou.
Nos primeiro momentos que caia, fiquei me lamentando, eu tinha encontrado tantas coisas maravilhosas lá em cima, eu me sentia leve lá e queria que um dia eu pudesse encontrar o topo de novo, mas sem coragem pra passar por tudo o que tinha passado para estar ali. Caí de olhos fechados, talvez por causa da altura.
Quando eu percebi, quase que por um reflexo, abri os olhos. Percebi que a queda era... maravilhosa. Encontrei várias paisagens pelo caminho que eu não havia visto enquanto subia. Talvez porque elas tenham mudado, ou talvez porque eu estava focada demais no meu objetivo e fechei os olhos para todo o resto. Adorei a sensação do vento batendo em meu rosto, de poder colher flores pelo caminho e ter visto tudo o que eu não tinha visto.
Quando cheguei lá embaixo, tive vontade de subir tudo de novo, mas dessa vez, mais do que o topo, aproveitando as outras paisagens. E agora, eu não tenho mais medo de cair... eu adoro voar!